Santana Rebaixado

A técnica mais utilizada no santana rebaixado é o rebaixamento de molas. Onde se aplica duas molas com o mesmo número de aros, mas com espessuras diferentes, a mola com aros de maior espessura será mais dura.

Santana Rebaixado
Santana Rebaixado

Um fator importante quando se instalam molas curtas no santana rebaixado é a sua altura. Não podem ser tão curtas porque corre o risco de cair do suporte, o que realmente acontece! A melhor forma de evitar isto é utilizar molas com distanciamento entre aros diferenciado, onde são colocados os aros superiores com a distância normal, mas os aros inferiores com distância mais curta entre eles, fazendo maior pressão para ficar na posição normal.

Ao contrário do que se costuma dizer, este tipo de mola para santana rebaixado não é progressiva. As molas progressivas são obtidas através de técnicas de fundição do metal, e redução do diâmetro da espiral nos extremos da mola. Sendo assim as molas permitem obter melhores níveis de conforto no Santana rebaixado. É outro método seria encurtar as molas de origem com uma máquina apropriada.

Os resultados obtidos no Santana rebaixado podem ser muito bons, com excelentes resultados no rebaixamento e equilíbrio do chassi do Santana rebaixado. Este processo, apesar de ser arriscado, é uma boa solução para quem tenha carros que não são abrangidos pelas marcas de molas existentes no mercado.

Outra prática que também poderá ser feita no Santana rebaixado é cortar um ou mais aros das molas. Este método é pouco recomendável, pois contradiz na totalidade o efeito para que a mola foi desenhada, e os resultados podem ser desastrosos. Antes de sair fazendo e gastando alto valor para rebaixar o Santana procure se informar com o responsável que irá fazer o trabalho no Santana rebaixado. Com estas informações esclarecidas seu Santana ficará moderno e seguro.